CGD investiga ligação de inspetor acusado de extorquir meio milhão de traficante com policial militar

Legenda: A CGD investiga a ligação entre ambos policiais. Juntos, eles teriam extorquido meio milhão de um traficante, no ano de 2016, em Fortaleza - Foto: Cid Barbosa

Foi instaurado um processo disciplinar contra o policial civil, que já é réu na Justiça do Ceará sob acusação de participar de esquema de tortura

A Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública (CGD) instaurou um processo administrativo disciplinar em desfavor do inspetor da Polícia Civil do Ceará Harpley Ribeiro Maciel. O inspetor é um dos 26 policiais réus na Justiça do Estado denunciados pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) no último dia 18 de agosto. A reportagem apurou que a CGD investiga a ligação entre Harpley e o policial militar Rafael Ferreira Lima, conhecido como 'Alemão'.

O PM foi um dos alvos da 4ª fase da Operação Gênesis, deflagrada em julho deste ano. Juntos, os servidores teriam extorquido meio milhão de reais de um traficante em um esquema de extorsão e tortura, nas imediações da Câmara dos Vereadores, em Fortaleza, no ano de 2016.

A partir das interceptações telefônicas autorizadas na Operação Gênesis, os promotores do Gaeco chegaram ao nome do inspetor como participante da organização criminosa junto a Rafael.

Há ainda informação que civis, identificados como Wallace Rodrigues Nogueira Maciel e João Inácio da Silva, também atuavam no esquema e estiveram juntos em uma extorsão com emprego de arma de fogo, no bairro Messejana, em setembro de 2016. Nessa ocasião, eles teriam subtraído quase R$ 130 mil de uma vítima.

A Controladoria expôs as denúncias e divulgou a decisão de instaurar processo administrativo no Diário Oficial do Estado dessa terça-feira (28)

Ainda conforme trecho do documento, o PM Rafael Ferreira encabeçava o esquema nos anos de 2016 e 2017 e praticou uma série de graves infrações penais. O MP apurou que as vítimas eram escolhidas entre traficantes com considerável poder aquisitivo, ou que já tinham alguma passagem pela Polícia, o que facilitaria tanto as exigências e as abordagens, quanto o alcance das vantagens ilícitas almejadas pelo grupo.

Após publicação da reportagem, a defesa de ambos os policiais emitiu nota informando que:

Como se observa, a acusação utiliza termos como dedução, teria sido, provavelmente, possivelmente, ou seja, não se sabe nem se ocorreu o fato e alguns outros fatos sequer existem vítimas ou testemunhas. Tal forma de acusar será combatida veementemente pela defesa  e iremos requerer a rejeição de plano da denúncia, ainda em sede inicial da persecução penal.

KAIO CASTRO

advogado criminalista

AFASTAMENTO DAS FUNÇÕES

O inspetor Harpley Ribeiro Maciel é atualmente lotado no 5º Distrito Policial, na Parangaba. Nessa segunda-feira (27), a Justiça aceitou denúncia do Gaeco e decidiu que Harpley e outros 25 policiais civis devem usar tornozeleira eletrônica e serem afastados das funções. O gabinete da Delegacia-Geral pediu prorrogação para concluir o afastamento.

O grupo de investigadores foi denunciado em uma nova operação do MPCE, deflagrada a partir do desmembramento da Vereda Sombria e das diversas fases da Gênesis. Até o momento não há informações que demais policiais civis alvos da recente operação cometessem crimes ao lado de policiais militares.

32

pessoas se tornaram réus nesta semana por crimes como associação criminosa, extorsão, corrupção, tráfico de drogas, corrupção, peculato, prevaricação

79

mandados expedidos nas 4 fases da Operação Gênesis A primeira fase da Operação Gênesis foi deflagrada ainda no ano passado. No total foram 79 mandados de busca, apreensão, prisão e condução coercitiva.

Escrito por Emanoela Campelo de Melo/Diário do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

buttons=(Accept !) days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saber mais
Accept !