Três homicídios e uma morte no trânsito neste fim de semana no Cariri

"Forrica" morreu num acidente em Assaré, enquanto Emília foi morta a pedradas em Juazeiro e Adriano a tiros em Barbalha (Foto: Reprodução)

Segundo levantamento feito pelo Site Miséria, todas as mortes ocorreram neste domingo.

Caiu de cinco para quatro o número de mortes violentas na comparação entre os dois últimos finais de semana na região do Cariri. Neste, foram três homicídios e uma morte em acidente de trânsito com dois corpos de Barbalha e outros dois de Assaré e Juazeiro. Segundo levantamento feito pelo Site Miséria, todas as mortes ocorreram neste domingo.

Por volta das 9 horas deste domingo um carroceiro que passava na localidade “Morro dos Ventos” no Sítio Estrela em Barbalha, se deparou com um cadáver logo identificado como sendo de Jerlanderson Ravelle Pinheiro de Sousa, de 25 anos, que residia na Avenida do Mercado (Bairro Cirolandia) naquele município. Apresentava várias perfurações à bala na cabeça e o mesmo respondia procedimento por tráfico de drogas em São Paulo.

Às 17h30min, na CE-375 que liga Assaré e Tarrafas, houve a colisão entre uma moto Honda CG 150 Fan de cor vermelha e um Fiat Minibus de cor prata, que transporta passageiros para Juazeiro. O acidente aconteceu na altura do Sítio Viração onde morreu o pedreiro Antonio Gonçalves Antunes, de 51 anos, o “Forrica”, que residia na Rua Chiquinho Pereira em Assaré. Os veículos ficaram bem destruídos, sendo a Topic dirigida por Cícero Tirbutino dos Santos, de 55, residente em Tarrafas.

Já às 21 horas, num terreno na Rua José Salviano de Sousa (Jardim Gonzaga) em Juazeiro, foi encontrado o corpo de Emília Valéria Jacinto do Nascimento, de 52 anos, que residia no bairro Frei Damião. O mesmo apresentava perfurações à faca e agressões a pedradas. Ela já tinha sido vítima de violência doméstica em abril de 2014, era separada e tinha quatro filhos, sendo um deles menor de idade. O reconhecimento foi feito pelo namorado que avisou ao filho dela sobre o assassinato de sua mãe.

Uma hora e meia depois, na Rua P15 (Bairro Malvinas) em Barbalha, o ex-presidiário José Adriano Souza da Silva, de 33 anos, foi morto em frente à sua casa. Ele tinha várias passagens pela polícia pelos mais diversos crimes e uma das prisões foi por determinação judicial. O mesmo era suspeito de chefiar uma quadrilha envolvida em crimes como tráfico de drogas, roubos, homicídio, lesão corporal, sendo que respondia por porte ilegal de arma de fogo e violência doméstica.

Reportagem de Demontier Tenório/Agência Miséria

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

buttons=(Accept !) days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saber mais
Accept !