Novembro terminou com dez homicídios em Juazeiro e o ano é 30% menos violento

0
Gabriel e Jeferson foram assassinados no bairro João Cabral, enquanto Eduardo tombou sem vida no Antonio Vieira, Edener no Salesianos, o morador de rua “Miúdo” em frente ao Romeirão e Felipe no Santa Tereza

Segundo levantamento feito pelo Site Miséria, em novembro os bairros onde houve o registro de homicídios foram Santa Tereza e João Cabral (com dois cada ou) e os demais no Triângulo, Antonio Vieira, Salesianos, Pedrinhas, Romeirão e Sítio Mucambo.

Com dez homicídios em sete bairros e uma localidade rural, o mês de novembro teve três a mais (+30%) em relação a outubro. Na comparação com novembro de 2020 a situação é pior, com aumento de 100%, porquanto àquele mês do ano passado teve cinco assassinatos. Assim, estamos com 10 homicídios em janeiro, cinco em fevereiro, dois em março, 10 em abril, seis em maio, nove em junho, 13 em julho, nove em agosto, nove em setembro, sete em outubro e dez no mês passado.

Segundo levantamento feito pelo Site Miséria, em novembro os bairros onde houve o registro de homicídios foram Santa Tereza e João Cabral (com dois cada ou, individualmente, 20% do total) e os demais no Triângulo, Antonio Vieira, Salesianos, Pedrinhas, Romeirão e Sítio Mucambo. Com isso, no acumulado do ano, o bairro Santa Tereza lidera como os mais violentos com 13 homicídios ou 14,4% em relação aos 90 assassinatos em 11 meses no Juazeiro.

O mês de novembro último foi o segundo mais violento do ano se igualando a janeiro e abril, sendo superado apenas por julho que teve 13 homicídios. Em 2020, eram 130 assassinatos em 11 meses contra 00 este ano ou 40 a menos representando um decréscimo na ordem de 30,7% na violência. Eis a relação dos homicídios registrados no decorrer do mês passado em Juazeiro:

Dia 04 – Jeferson Francisco Honorato dos Santos, de 27 anos, que residia na Avenida Nossa Senhora Aparecida (João Cabral), foi morto a tiros por dois homens numa moto em frente ao CRAS no cruzamento das ruas da Paz e Perpétua Carneiro da Cunha naquele bairro. Ele respondia por crimes de lesão corporal, roubos, furtos e receptação.

Dia 04 – Antonio Klleyton Domingos Silva, de 27 anos, que residia na Travessa Dr. Francisco Monteiro (Triângulo), foi morto a tiros por dois homens numa moto no banheiro de sua casa onde tentou se refugiar. Ele respondia por crimes de violência doméstica, furtos e roubos.

Dia 06 – Eduardo Cordeiro de Lima, de 30 anos, que residia na Rua Samuel Barbosa (Antonio Vieira), foi morto a tiros perto de casa por dois homens numa moto. Ele usava tornozeleira eletrônica e respondia por lesões corporais, porte de arma de fogo, roubo, homicídio contra Gilson Mendes dos Santos, de 31 anos, no dia 17 de janeiro de 2010, e já tinha sido vítima de vários atentados à bala.

Dia 10 – Gabriel Henrique Teles Ferreira, de 15 anos, que residia na Rua José de Alencar (Romeirão), foi morto a tiros quando seguia para casa pela Rua Odílio Figueiredo (João Cabral). Ele não tinha passagens pela polícia e ainda foi socorrido ao Hospital Regional do Cariri, porém morreu na sala de reanimação.

Dia 20 – Cícero Aldemir Amorim Macedo, de 45 anos, o “Demir” que residia na Rua Antonio Cardoso de Sousa (Pedrinhas) em Juazeiro, foi morto a facadas no Sítio Mucambo (Distrito de Padre Cícero). Ele estava numa bebedeira na casa de parentes da esposa e com seu enteado com o qual discutiu após este espancar um cachorro com a lâmina de uma faca. Claudiano Barbosa da Silva, de 24 anos, o “Gugu”, voltou-se para o padrasto com a arma e o mesmo tentou correr, mas não foi longe por conta de um defeito na perna, sendo morto na presença da mulher e um filho. Demir era usuário de drogas e, há alguns anos, tinha sido agredido a pauladas pelo próprio “Gugu” que fugiu.

Dia 20 – José Edener Silva Aragão, de 42 anos, foi morto a tiros dentro de sua casa na esquina das ruas Senhora Santana e Pio X (Salesianos) por quatro homens em duas motos. Ele respondia vários procedimentos criminais por injúria, ameaça, receptação, contravenção penal, crime ambiental, porte de arma, violência doméstica e tráfico de drogas.

Dia 28 – Josiane Lima de Oliveira, a “Jô”, de 28 anos, que residia na Vila Dom Bosco (Santa Tereza), foi morta a tiros dentro de um Chevrolet Onix vermelho estacionado em frente à sua casa num caso de duplo homicídio praticado por quatro homens em duas motos e uma irmã dela saiu baleada no tornozelo, sendo que Jô era testemunha de assalto.

Dia 28 – Cícero Felipe Silva Alves, de 17 anos, residia na Rua Manoel Laurentino de Oliveira (Triângulo), foi a outra vítima do caso do duplo homicídio anterior no bairro Santa Tereza. Ele estava para ser internado como menor infrator.

Dia 30 – Cícero Leonardo Silva Adrião, de 30 anos, que residia na Rua Robson Isidro de Sousa da Vila Crispim (Pedrinhas) e trabalhava como carroceiro foi morto por espancamentos e encontrado em avançado estado de decomposição num matagal na Rua Engenheiro Antonio Albuquerque daquele bairro. O mesmo não tinha passagens pela polícia e estava desaparecido há três dias.

Dia 30 – Adalberto Oliveira da Silva, de 37 anos, apelidado por “Miúdo”, que era usuário de drogas e morador de rua, foi morto a tiros na Avenida Castelo Branco em frente ao estádio Romeirão (Romeirão). Ele teria atingindo um carro com uma pedra cujo motorista retornou efetuando os disparos que resultaram na sua morte.

Reportagem de Demontier Tenório/Agência Miséria

Postar um comentário

0 Comentários
* Não faça spam aqui. Todos os comentários são revisados pelo administrador.

Selecione o modo incorporado para mostrar o sistema de comentários!*

image host

buttons=(Aceitar !) days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saber mais
Accept !
To Top