Feriadão no Cariri com quatro homicídios, duas mortes no trânsito e dois afogamentos

“João de Maria Branca” foi morto a tiros em Jardim, enquanto Sebastião morreu afogado em Porteiras e Pietra Valentina foi morta a facadas em Juazeiro (Reprodução)

Nesse mesmo período do ano passado foram cinco mortes violentas ou três a menos.

Subiu de cinco para oito o número de mortes violentas na comparação entre os dois últimos finais de semana no Cariri com o detalhe que este foi o Feriadão da Semana Santa. Nesse mesmo período do ano passado foram cinco mortes violentas ou três a menos. Neste feriadão tivemos quatro homicídios, duas mortes em consequência de acidentes de trânsito e dois casos de afogamentos com três corpos de Jardim, dois de Juazeiro e os demais de Crato, Porteiras e Missão Velha.

Por volta das 23 horas de quinta-feira, na estrada carroçável do Sítio Cotovelo em Jardim, houve o capotamento de um Corsa Sedan de cor preta dirigido por Cícero Salustriano dos Santos Nascimento, de 45 anos, que residia na Rua Jonas Maurício (Morro do Tetéu) naquele município. Ele morreu no local ao perder o controle de direção na estrada que liga Jardim/Penaforte e o carro capotar. Cícera Hipólito do Nascimento, de 30, foi trazida ao Hospital Regional do Cariri e Benedito Ramalho da Silva, de 42 anos, ficou no Hospital Santo Antonio de Jardim.

Às 10h30min de sexta-feira, na CE-060 na altura da Vila Santa Terezinha a uma distância de 2 Km para o centro de Jardim, Luis Cláudio Morais da Silva, de 40 anos, morreu ao cair de sua moto. Ele estava sem capacete, perdeu o equilíbrio do veículo e caiu na rodovia estadual na saída para Barbalha. A vítima residia em Jardim e ainda foi socorrida às pressas ao hospital local, mas não resistiu a gravidade dos ferimentos tendo falecido pouco tempo depois.

Já às 20 horas, ainda na sexta-feira, o jovem Fernando Alves do Nascimento, de 28 anos, que residia na Rua Arcênio Sobreira (Timbaúbas) foi morto a tiros perto de sua casa. Ele seguia à pé pelo cruzamento daquela via com a Rua José Luiz Siebra quando foi surpreendido por um homem que se aproximou numa bicicleta e efetuou os disparos. A vítima foi atingida na cabeça e o óbito apenas constatado por profissionais de saúde do SAMU que estiveram no local.

Ao meio dia e meia de sábado foi morto a tiros num lava a jato na Avenida Wilson Roriz no centro de Jardim João Batista dos Santos, de 31 anos, o “João de Maria Branca” que residia no Sítio Serra Gravatá. Ele conversava com amigos quando foi surpreendido pelos disparos efetuados por dois homens que chegaram numa moto. A vítima usava tornozeleira já que respondia por um homicídio a pauladas praticado em junho de 2017, no Sítio Serra Gravatá, contra Moacir Lourenço de Souza, de 54 anos.

Por volta das 21 horas, ainda no sábado, Maria Edna Cardoso Silva, que completaria 56 anos nesta terça-feira (06), foi baleada em sua casa na Rua Rio Grande do Sul perto da Grendene no Bairro Seminário em Crato e morreu no Hospital São Camilo. Ela já tinha sido vítima de duas tentativas de homicídios, sendo a primeira em setembro de 2013 no Crato e a outra em fevereiro de 2015, cujo Inquérito Policial indiciou como autor Francisco Felipe Damasceno hoje com 39 anos de idade.

Já às 9 horas deste domingo o corpo do agricultor Sebastião Lindomar da Silva, de 41 anos, foi retirado por familiares das águas do Açude de Cícero Marcelino no Sítio Olho D’água na zona rural de Porteiras. Ele residia naquela localidade e tinha desaparecido no início da noite de sábado quando saiu para tomar banho e se afogou. No primeiro momento, houve tentativas de localizá-lo, mas foram em vão.

Cerca de quatro horas depois, ainda no domingo, morreu afogado na Cachoeira de Missão Velha, localizada no Sítio Cachoeira, José Pereira Lins, de 32 anos, que era conhecido por “Mazim”. Ele residia na Avenida Brasília no centro de Missão Velha e o cadáver foi retirado por mergulhadores do Corpo de Bombeiros de Juazeiro. Zé Pereira estava tomando banho no reservatório quando mergulhou e não foi mais visto por outros banhistas que acionaram a polícia.

Às três horas da madrugada desta segunda-feira o adolescente Marcos Lourimar Rodrigues, de 16 anos, a travesti de nome social “Pietra Valentina”, foi morta a golpes de faca na Rua São Sebastião (Pio XII) perto da Escola Tabelião Expedito Pereira. Ela residia na Rua Ernestina Sobreira próximo ao Dispensário Nossa Senhora das Dores no bairro Limoeiro e esta tarde a Polícia Civil começou a tomar depoimentos sobre o crime a partir do seu companheiro.

image host

Reportagem de Demontier Tenório/Agência Miséria

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

buttons=(Accept !) days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saber mais
Accept !