As 10 cidades cearenses que mais abriram vagas de trabalho em fevereiro

0
 Teleférico do Horto - Nivia Uchoa e Tatiana Fortes - Fotos

De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o estado terminou fevereiro com saldo positivo.

Com saldo positivo no mês de fevereiro, o Ceará fechou o mês com mais de 8 mil empregos gerados. Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, mostram que, dos municípios do estado, Fortaleza lidera com o melhor resultado. 

A Capital cearense gerou 5,2 mil empregos em fevereiro, seguida por Caucaia (468), Juazeiro do Norte (395) e Barbalha (356).

Ainda de acordo com o levantamento do Ministério da Economia, em fevereiro, foram registradas 46.036 admissões e 37.989 demissões. O número representa a quantidade de contratos de trabalho via Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT).

Veja o top 10 de cidades que mais geraram empregos:   

  • Fortaleza: 5.287
  • Caucaia: 468 
  • Juazeiro do Norte: 395
  • Barbalha: 356
  • Eusébio: 331
  • Russas: 284
  • Brejo Santo: 160
  • Iguatu: 141
  • Quixadá: 137
  • Crateús: 131

Em Fortaleza, o setor de serviços foi o de maior destaque com 4,2 mil vagas geradas, o mesmo acontece com Juazeiro do Norte, Barbalha e Quixadá. Já em Caucaia, o setor de construção lidera essa lista (157), assim como no Eusébio e Crateús.

Já a indústria é destaque nos municípios de Russas (256), Brejo Santo (157) e Iguatu (92). 

Por sua vez, entre os municípios que registraram os maiores saldos negativos estão Maracanaú, Sobral, Limoeiro do Norte e Icapuí.

Veja o top 10 de cidades que mais perderam empregos: 

  • Maracanaú: -572
  • Sobral: -267
  • Limoeiro do Norte: -173
  • Icapuí: -141
  • Quixeré: -106
  • Solonópole: -70
  • Aquiraz: -52
  • Cascavel: -50
  • Marco: -35
  • Chorozinho: -30

Setor de serviços puxa saldo

O setor de serviços segue crescendo no Ceará e puxa o saldo positivo de fevereiro. O saldo da área ficou em cerca de 6 mil vagas geradas. 

Outro agrupamento de destaque foi a construção, com saldo de 2,5 mil. Seguida pela indústria, com 72 empregos gerados, e o comércio, com 38. 

Já a agropecuária teve saldo negativo no estado, já que houve mais desligamentos que admissões, sendo -661.  

Fonte: Diário do Nordeste

Postar um comentário

0Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

Please Select Embedded Mode To show the Comment System.*

#buttons=(Aceitar !) #days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saber mais
Accept !