Agosto terminou com nove homicídios em Juazeiro e o ano é 65% menos violento

“Tribucio” foi assassinado no bairro Jardim Gonzaga, enquanto Nelson tombou sem vida no Tiradentes e “Pedrinho” no Socorro (Foto: Reprodução)

O mês de agosto foi o quarto mais violento do ano se igualando a junho. Mesmo assim, determinando uma queda acentuada e tornando o ano bem menos violento.

Com nove homicídios em sete bairros, o mês de agosto teve quatro assassinatos a menos que julho representando queda de 31% na matança em Juazeiro. Já na comparação com agosto de 2020 foi um homicídio a mais, porquanto àquele mês do ano passado teve oito assassinatos ou 11% a mais para o oitavo mês deste ano. Assim, estamos com 10 homicídios em janeiro, cinco em fevereiro, dois em março, 10 em abril, seis em maio, nove em junho, 13 em julho e nove no mês passado.

Segundo levantamento feito pelo Site Miséria, em agosto os bairros onde houve o registro de homicídios foram Santa Tereza e Jardim Gonzaga (02 cada ou 44% do total) e os demais no Triângulo, Limoeiro, Tiradentes, Socorro e Pio XII. Com isso, no acumulado do ano, o bairro Frei Damião lidera como o mais violento com nove homicídios ou 14% do número de assassinatos em Juazeiro.

O mês de agosto último foi o quarto mais violento do ano se igualando a junho. Mesmo assim, determinando uma queda acentuada e tornando o ano bem menos violento. Em 2020, eram 106 assassinatos nos primeiros oito meses contra 64 este ano ou 42 a menos representando um decréscimo na ordem de 65,6% na violência. Eis a relação dos homicídios registrados no decorrer do mês passado em Juazeiro:

Dia 01 – Cândido Luiz Ribeiro, de 36 anos, o “Feinho” que era morador de rua, foi morto com seis facadas, sendo três no tórax e outras três na face por uma pessoa apelidada por “Bolacha” que dele se aproximou, desfechou os golpes e fugiu. O crime aconteceu na Rua Santos Dumont perto do cruzamento com a Todos os Santos (Santa Tereza).

Dia 02 – Tiago Cosmo da Silva, de 31 anos, o “Tribúcio”, que residia na Rua Francisco Monteiro (Triângulo), foi morto a tiros no cruzamento das ruas Maria Rosa de Almeida e Raimundo João Gonçalves (Jardim Gonzaga) por um policial penal que o mesmo tentou assaltar. Ele respondia vários procedimentos por furtos simples, arrombamentos, assaltos e falsidade ideológica.

Dia 04 – Francisco de Oliveira Silva, de 45 anos, o “Chicão Pedreiro”, que residia na Rua Luiz Silva Soares (São José), foi morto a tiros quando trabalhava na construção de uma casa na Rua Maria Diva de Carvalho (Jardim Gonzaga). Ele respondia procedimento por crime de receptação.

Dia 10 – Cícero João da Silva, de 63 anos, que residia na Vila Dom Bosco (Santa Tereza) e trabalhava como serrador, morreu no Hospital Regional do Cariri. Ele foi lesionado com cinco facadas nas costas na noite do dia 12 de junho perto de sua casa por José Luiz S. Sousa, de 50 anos, residente no bairro Antonio Vieira, que terminou preso.

Dia 13 – Jefferson Lima da Silva, de 26 anos, que residia na Rua Wálter Menezes Barbosa (Triângulo), saía de casa com sua esposa quando homens se aproximaram num carro vermelho. Eles mandaram a mesma se afastar e mataram o seu companheiro. A vítima usava tornozeleira eletrônica e respondia por crimes de receptação e tráfico de drogas.

Dia 18 – Wilton Alves Roseno, de 33 anos, que era homossexual e residia na Rua Vereador Antonio Braz (Limoeiro), foi morto a facadas e encontrado dentro do banheiro de sua casa. Ele não tinha passagens pela polícia e dois homens foram vistos chegando numa moto ao imóvel de onde saíram logo depois.

Dia 20 – Nelson dos Santos, de 34 anos, que residia na Rua Coronel José Xandu (Tiradentes) e trabalhava como pedreiro, foi morto a golpes de faca na Rua Professora Ivany Feitosa perto do cruzamento com a Sebastião Mariano naquele bairro. Ele retornava de Crato onde estava numa bebedeira com um amigo o qual foi levado à delegacia para esclarecer sobre o crime.

Dia 24 – Pedro Carvalho Menezes, de 20 anos, que residia na Rua Possidônio da Silva Bem (Socorro) e era conhecido por “Pedrinho” ou “Pedro Galeguim”, foi morto a tiros na cabeça por dois homens numa moto. O crime aconteceu perto de sua casa e ele não respondia procedimentos criminais.

Dia 27 – José Lázaro de Andrade Silva, de 19 anos, que residia na Rua São Miguel (São Miguel) e era servente de pedreiro, foi morto a tiros na Rua Santa Tereza perto do cruzamento com a Domingos Sávio (Pio XII). Ele ingeria bebidas alcoólicas com amigos na calçada de uma casa quando três homens chegaram num carro de cor branca efetuando disparos. No tiroteio, saiu baleado o pedreiro Cícero Severino do Nascimento, de 44 anos, socorrido ao hospital.

Reportagem de Demontier Tenório/Agência Miséria

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

buttons=(Accept !) days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saber mais
Accept !