Família do interior do Ceará espera liberação de corpo há mais de 2 meses

0
Antônio Carlos Barroso Neto foi encontrado morto em 13 de fevereiro na zona rural de Quiterianópolis e família não consegue fazer o sepultamento — Foto: Reprodução

Segundo advogados que acompanham o caso, um exame de DNA confirma o parentesco entre Antônio Carlos e a irmã Ana Lúcia.

Uma família de Quiterianópolis, no sertão cearense, aguarda pela liberação do corpo de um parente que está na Perícia Forense do Estado (Pefoce) há mais de 2 meses. Antônio Carlos Barroso Neto, de 48 anos, foi encontrado morto em 13 de fevereiro na zona rural do município. O corpo foi recolhido e levado para o núcleo da Perícia em Tauá, município vizinho.

Já são 66 dias sem que a família possa retirar realizar o sepultamento. Além disso, os parentes ainda não sabem a causa da morte de Antônio Carlos.

“Já foi dada a entrada no registro [nascimento], a família está toda esperando por esse corpo e não estamos conseguindo liberar por falta de documento, que ele não tinha. A gente está precisando tirar o corpo do IML”, cobra a agricultora Ana Lúcia Barroso de Sousa, irmã de Antônio Carlos.

Município diz que identidade foi confirmada

Advogados que prestam serviço para o município de Quiterianópolis dão apoio jurídico à família e informaram que não existe dúvida quanto à identidade civil do falecido, pois já foi realizado o exame de DNA junto à Perícia Forense de Tauá, confirmando o parentesco entre Antônio Carlos e a irmã Ana Lúcia. Ainda de acordo c om o município, os familiares esperaram o resultado do exame por cerca de 40 dias. Mesmo com o laudo, o corpo não foi liberado.

Perícia só com autorização judicial

Em nota, a Pefoce informou que a liberação de corpos que dão entrada sem documento de identificação só é realizada quando é feito o exame de DNA, pois há a necessidade da declaração de óbito mediante decisão judicial. A nota informa ainda que a Pefoce aguarda a autorização judicial para a liberação do corpo.

O g1 procurou o Tribunal de Justiça do Estado do Ceará para saber sobre a decisão judicial que pode autorizar que a família retire o corpo de Antônio Carlos Barroso Neto, mas não houve resposta até o fechamento desta reportagem.

Ele era solteiro. A mãe de Antônio Carlos tem 84 anos, é lúcida e, segundo a irmã, está aflita porque não consegue realizar o sepultamento do filho.

Fonte: g1 CE

Postar um comentário

0Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

Please Select Embedded Mode To show the Comment System.*

#buttons=(Aceitar !) #days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saber mais
Accept !