Cinco homicídios e quatro mortes em acidentes no Cariri neste fim de semana

0
Os motoristas de aplicativo “Neném” e Renato tiveram os corpos encontrados em Jardim, Estefani foi morta a tiros em Assaré e Diego no Juazeiro (Foto: Reprodução)

Subiu de cinco para dez o número de mortes violentas na comparação entre os dois últimos finais de semana na região do Cariri. Neste, foram cinco homicídios, quatro em consequência de acidentes de trânsito e uma vítima de descarga elétrica com dois corpos de Assaré, outros dois de Jardim, mais dois de Juazeiro e os demais de Mauriti, Missão Velha, Várzea Alegre e Jati. Segundo levantamento da editoria de polícia do Site Miséria, sete mortes aconteceram no sábado e outras três no domingo.

Aos 30 minutos da madrugada de sábado Maryvania Jacinto de Araújo, de 33 anos, que residia na Rua Maria Adalgisa Alves de Carvalho (Barro Branco) em Crato, morreu no Hospital Regional do Cariri em Juazeiro. Às 17 horas do último dia 29, ela trafegava numa moto quando se envolveu num acidente no anel viário perto da rotatória da Avenida Leão Sampaio (Lagoa Seca) em Juazeiro. A moto bateu num carro e Maryvania socorrida, RC mas não resistiu falecendo quatro dias depois.

Por volta das 10 horas o agricultor Cícero de Sousa Severino, de 38 anos, morreu ao dar entrada no Hospital São José de Mauriti. Momentos antes, ele fazia um serviço perto de campo de futebol quando manuseava uma vara de cano e esta tocou na fiação elétrica, sendo eletrocutado. O fato aconteceu onde morava no Sítio Carnaubinha (Distrito de Umburanas) na zona rural de Mauriti.

Cerca de uma hora e meia depois o agricultor Francisco Zacarias de Oliveira, de 65 anos, morreu num dos leitos do Hospital Regional do Cariri em Juazeiro. Ele residia no Sítio Vila Joaca na zona rural de Missão Velha e, às 08h30min de sábado, tinha acabado de sair de casa a pé pela CE-293 quando foi atropelado por um carro. O mesmo terminou socorrido ao HRC com suspeita de traumatismo craniano, mas não resistiu.

Às 18 horas deu entrada no Hospital São Raimundo de Várzea Alegre um homem que se envolvera num acidente com moto o qual faleceu pouco tempo depois. Pedro Gomes da Silva, de 51 anos, residia na Rua Iraci Bezerra (Bairro Varzante) em Várzea Alegre e caiu de sua moto quando trafegava pela Rua Tenente Antônio Gonçalves em frente ao Estádio de Futebol Pedro Sátiro o Juremal.

Já às 21h30min, na Rua Sagrada Família (Bairro Serra da Ema) em Assaré, foram mortos a tiros Francisco Ozório Oliveira de Sousa, de 39, que ali residia, e sua cunhada Estefani Maria de Jesus, de 28 anos, grávida de três meses a qual morava na Rua Raul Sampaio Muniz daquele bairro. O atual companheiro dela Antonio Marcos de Oliveira saiu baleado nas costas e socorrido. O autor dos disparos foi o empresário e ex-marido de Estefani, “Itamar da Cerâmica” que fugiu numa Hilux de cor prata a qual logo abandonou. Há seis meses separaram e ele não aceitava o fim do relacionamento.

Aproximadamente duas horas após, ainda no sábado, faleceu o agricultor Cleiton Gomes Calisto, de 22 anos de idade. Este residia no Sítio Balanço na zona rural de Jati e seguia para sua residência. O mesmo pilotava uma motocicleta pela BR-116 quando colidiu numa carreta e morreu no local do acidente apresentando fraturas múltiplas.

Por volta das 12 horas de domingo foram encontrados os corpos dos motoristas de aplicativo desaparecidos no caso José Renato Pereira dos Santos, de 36, que residia no Sítio Barro Vermelho em Barbalha, e Francinildo Antonio de Paiva de Oliveira, de 48 anos, O “Neném” que morava em Aurora. Estavam num matagal no Sítio Serra dos Pequis em Jardim, com Renato em avançado estado de decomposição e Francinildo a ossada. Este último desaparecido há um mês e outro desde a terça-feira quando foram contratados para corridas em Crato.

Finalmente, às 21 horas de domingo, o ajudante de borracheiro Diego Brito de Sousa, de 25 anos, foi morto a tiros no rosto na porta de sua casa na Rua João Pereira de Carvalho (Campo Alegre), por dois homens que fugiram num carro. Ele respondia pelo assassinato de Cícera Amaroto da Silva Velozo, de 38 anos, a “Márcia”, no dia 28 de maio de 2020 quando ela chegava em casa na Rua do Ancião (Tiradentes) e o outro indiciado é o ex-companheiro dela Alberlan Rocha Silva, o “Negão da Bros”.

Reportagem de Demontier Tenório/Agência Miséria

Postar um comentário

0Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

Please Select Embedded Mode To show the Comment System.*

#buttons=(Aceitar !) #days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saber mais
Accept !