Após apresentar atestado, policial militar é flagrada em treinos e festas e acaba expulsa da PM

0
Legenda: Enquanto estava com atestado médico, Andressa participou de eventos como Feijoada de Coroação da Rainha e Encontro da Banda Amigos da Barra - Foto: Reprodução/Instagram

A PM concluiu que Andressa demonstrava "desapreço à instituição a qual jurou compromisso"

A policial militar Andressa Christine Medeiros dos Santos, 33, foi expulsa da instituição após participar de eventos e frequentar academia para prática intensa de exercícios físicos enquanto estava de licença médica para tratamento de saúde. De acordo com o Uol, a Polícia Militar do Rio de Janeiro expulsou cabo da corporação no último sábado (12).

Andressa trabalhava na Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) e foi denunciada por conduta classificada como "transgressão disciplinar de natureza grave".

Ainda segundo o portal, a agente foi afastada das atividades da corporação no dia 27 de julho de 2018 quando foi vítima de ferimento provocado por arma de fogo. Andressa teve o pé esquerdo atingido e precisou se afastar das funções para se recuperar da lesão.

Porém, apesar do documento detalhar que o ferimento não foi considerado um ato de serviço, não apresenta detalhes sobre as circunstâncias do disparo. 

PARTICIPAÇÃO DE EVENTOS

Porém, após um mês de afastamento, no dia 30 de agosto de 2018, Andressa compartilhou vídeos em sua página social realizando exercícios físicos. Na época, o documento interno da PM destaca que ela deveria estar tratando de sua saúde. 

Já no dia 9 e 30 de dezembro do mesmo ano, a policial também "participou dos eventos Feijoada de Coroação da Rainha e Encontro da Banda Amigos da Barra, ocasião em que aparece dançando e utilizando calçado alto".

Também em dezembro, no dia 14, Andressa compartilhou imagens nas redes social em uma academia de musculação. Porém, em todas as datas, ela deveria estar em repouso, considerando que apresentou três atestados médicos renovando a dispensa do trabalho. 

Ao todo, foram 90 dias de afastamento, recebendo dispensa pelo período de um mês em cada um dos atestados. 

RESTRIÇÕES PARA EXERCÍCIOS FÍSICOS

Em janeiro de 2019, a policial recebeu autorização da PM para retomar às atividades na categoria "apto B", que apresentarestrições para exercícios físicos e longa permanência em pé.

Por constatarem que Andressa não tinha "lesões aparentes" e foi registrada "dançando com calçado alto e exercendo o cargo de musa da aludida banda", o processo administrativo disciplinar instaurado contra a agente apontou que houve caso de demonstração de má fé e deslealdade à administração militar estadual diante dos fatos.

"DESAPREÇO À INSTITUIÇÃO"

Após a PM do Rio de Janeiro agrupar as evidências do caso, o documento concluiu que Andressa demonstrava "desapreço à instituição a qual jurou compromisso", mesmo tendo ingressado na organização em 20 de abril de 2012.

A Secretaria de Estado de Polícia Militar reforçou que a ex-policial "não apresentou conduta de acordo com as premissas da administração militar estadual, estando de licença médica em repetidos períodos, porém mantendo uma rotina de eventos sociais e exercícios físicos não condizentes com o quadro de saúde informado".

As informações da PM foram dadas ao Uol. O portal entrou em contato com a ex-cabo, mas não obteve retorno. 

Fonte: Diário do Nordeste

Postar um comentário

0Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

Please Select Embedded Mode To show the Comment System.*

#buttons=(Aceitar !) #days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saber mais
Accept !