Ceará chega ao 11º dia consecutivo com alerta para chuvas e ventos fortes

0
Legenda: Chuvas dos últimos dias geraram alagamentos e transtornos em pontos de cidades como Fortaleza e Jericoacoara - Foto: Luana Severo

O Inmet orienta que há riscos de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas

Pelo 11º dia consecutivo, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta para chuvas e ventos fortes no Ceará. O primeiro aviso da pré-estação - iniciada em dezembro e que segue até o fim deste mês -  havia sido no dia 20.

No dia 21, outro alerta e, depois, três dias sem avisos. O órgão voltou a emitir alerta em 24 de dezembro e, desde então, todos os dias o Ceará tem estado sob 'potencial' risco para chuvas volumosas.

Desta vez, o alerta do Inmet tem classificação de 'perigo', o mais alto grau de severidade dos avisos. Esta classificação aponta para risco de chuvas entre 30 e 60 milímetros por hora ou 50 a 100 mm ao dia, além de  ventos intensos (60-100 km/h). Este último alerta tem validade até amanhã (4) e contempla 91 cidades cearenses. 

Alerta de 'perigo':

Acaraú, Acopiara, Aiuaba, Alcântaras, Altaneira, Amontada, Antonina do Norte, Ararendá, Araripe, Arneiroz, Assaré, Barroquinha, Bela Cruz, Boa Viagem, Camocim, Campos Sales, Canindé, Cariré, Cariús, Carnaubal, Catarina, Catunda, Chaval, Coreaú, Crateús, Crato, Croatá, Cruz, Dep. Irapuan Pinheiro, Farias Brito, Forquilha, Frecheirinha, Graça, Granja, Groaíras, Guariacaba do Norte, Hidrolândia, Ibiapina, Iguatu, Independência, Ipaporanga, Ipu, Ipueiras, Irauçuba, Itarema, Itatira, Jijoca de Jericoacoara, Jucás, Madalena, Marco, Martinópole, Masspê, Meruoca, Miraíma, Mombaça, Monsenhor Tabosa, Moraújo, Morrinhos, Mucambo, Nova Olinda, Nova Russas, Novo Oriente, Pacujá, Parambu, Pedra Branca, Piquet Carneiro, Pires Ferreira, Poranga, Potengi, Quiterianópolis, Quixeramobim, Reriutaba, Saboeiro, Salitre, Santana do Acaraú, Santana do Cariri, Santa Quitéria, São Benedito, Senador Pompeu, Senador Sá, Sobral, Tamboril, Tarrafas, Tauá, Tejuçuoca, Tianguá, Ubajara, Uruoca, Varjota, Várzea Alegre, Viçosa do Ceará

Para estes municípios, as chuvas e os ventos podem ocasionar risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas. 

De acordo com o meteorologista do Inmet, Flaviano Fernandes, essas chuvas decorrem a atuação do fenômeno chamado de Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN), sistema diferente da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), que estava atuando no Nordeste nos últimos dias de 2021.

"No Nordeste existem vários sistemas atmosféricos que atuam. Neste momento, é o VCAN. O Centro dele [fenômeno] está localizado no Oceano Atlântico e a borda oeste está atuando sobre o Nordeste, provocando essas intensas precipitações", detalhou Fernandes.

Já conforme previsão da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), a tendência é de continuidade das chuvas.

Para esta terça-feira (4), o órgão anuncia que haverá "céu variando de nublado a parcialmente nublado em todas as macrorregiões com chuva". Para quarta, dia 5, há "alta possibilidade de chuva em todas as macrorregiões". 

Legenda: Chuvas animam agricultores que já começam a preparar a terra para o plantio - Foto: Marciel Bezerra

CHUVAS NO CEARÁ

Nas últimas 24 horas, a Funceme registrou pluviometria em 119 dos 184 municípios cearenses. Todas as regiões foram banhadas pelas chuvas. Os maiores volumes foram observados nas cidades de Barro (109 milímetros), Ocara (97 mm), Aurora (85 mm), Cascavel (80 mm) e Pires Ferreira (75 mm).

Em Fortaleza, choveu 28 milímetros. Os dados são parciais e podem sofrer atualização ao longo do dia.

Na virada do ano, uma chuva torrencial deixou estragos na Vila de Jericoacoara. Ruas ficaram alagadas e a enxurrada acabou deixando a fiação e tubulações expostas. O reparo, que já aconteceu, foi custeado com o montante arrecado com a taxa de turismo.

Já no Cariri, o Rio Salgado transbordou com as fortes chuvas que caíram em Lavras da Mangabeira. A continuidade dessas chuvas é importante para elevar o nível dos reservatórios do Estado. Atualmente, quatro dos cinco maiores açudes do Ceará estão em situação crítica. 

Escrito por André Costa/Diário do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários
* Não faça spam aqui. Todos os comentários são revisados pelo administrador.

Selecione o modo incorporado para mostrar o sistema de comentários!*

image host

buttons=(Aceitar !) days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saber mais
Accept !
To Top