Luiz Fux derruba habeas corpus de condenados por mortes na Boate Kiss e réus podem ser presos

0
Legenda: Os réus Elissandro Callegaro Spohr e Mauro Londero Hoffmann, sócios da boate Kiss; Marcelo de Jesus dos Santos, vocalista da Banda Gurizada Fandangueira, e Luciano Bonilha Leão, produtor musical - Foto: Divulgação/TJRS

As penas dos quatro imputados variam entre 18 e 22 anos de prisão, inicialmente em regime fechado

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, aceitou recurso interposto pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS) pedindo a suspensão do habeas corpus dos quatro condenados pelas mortes na Boate Kiss. Eles aguardavam a decisão em liberdade, e agora podem ser presos. 

A Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul deve ser informada sobre o deferimento do recurso, para que "haja o cumprimento imediato das penas atribuídas aos réus Elissandro Callegaro Spohr, Mauro Londero Hoffmann, Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Augusto Bonilha Leão, pelo Tribunal do Júri".

Elissandro, que mandou acender o artefato pirotécnico e "teve a maior imputação", segundo o juiz, foi condenado a 22 anos e seis meses de reclusão. Mauro pegou 19 anos e seis e meses e Marcelo e Luciano, 18 anos.

O cumprimento da pena inicial é em regime fechado. Haverá possibilidade de regressão ao longo dos anos. O habeas corpus dos condenados foi amplamente criticado pelo MP-RS no dia da leitura da sentença, na sexta-feira (10). Familiares dos mortos na tragédia também se sentiram incomodados. 

DEFESAS

O defensor de Luciano Bonilha informou ao g1 RS que a decisão é "absurda". "Vamos ver o que fazer", comentou Jean Severo. 

Já Tatiana Borsa, advogada de Marcelo de Jesus, pontuou que o recurso deve ser discutido pela equipe de defesa.

O advogado de Mauro Hoffmann informou que eles não foram intimados ainda: "Tomamos conhecimento pela imprensa. Estamos tomando as providências necessárias".

A publicação gaúcha não conseguiu contato com o advogado de Elissandro. 

BOATE KISS

Ao todo, o incêndio na boate Kiss deixou 636 feridos e 242 mortos na noite do dia 27 de janeiro de 2013, em Santa Maria. A tragédia é a maior com número de vítimas da história do Rio Grande do Sul, e a segunda do Brasil. A maioria dos mortos era jovem, entre 17 e 30 anos, e morador do município universitário gaúcho.

Fonte: Diário do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários
* Não faça spam aqui. Todos os comentários são revisados pelo administrador.

Selecione o modo incorporado para mostrar o sistema de comentários!*

buttons=(Aceitar !) days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saber mais
Accept !
To Top