Após dois anos, Romaria de Finados é celebrada em Juazeiro do Norte com o retorno dos fiéis

Legenda: No Dia de Finados haverá a tradicional missa das seis da manhã, rezada em torno do túmulo do Padre Cícero - Foto: Antonio Rodrigues

Evento não contou com os romeiros em 2020, devido à pandemia de Covid-19

Após dois anos, os devotos do Padre Cícero se reencontraram com Juazeiro do Norte para celebrar a Romaria de Finados — a maior do chamado “ciclo de romarias”, que leva milhares de pessoas ao Sul do Ceará. Ainda que de forma tímida se comparada aos eventos anteriores à chegada da pandemia de Covid-19, o retorno foi comemorado e tem, nesta terça-feira (2), seu ponto alto, com a visita ao túmulo do sacerdote. 

Romeiro de Aquidabã, no Sergipe, Fábio Mota viajou 12 horas até a cidade que considera “uma terra santa”. Desde criança, com seus pais, participa da Romaria de Finados. Com a pandemia, pela primeira vez isso não se repetiu. “Estava com muita saudade e nunca passei tanto tempo longe de Juazeiro”, emociona-se. 

Legenda: Por causa dos visitantes, a Secretaria de Meio Ambiente e Serviços Públicos de Juazeiro do Norte espalhou fiscais e pontos de apoio nos locais mais visitados pelos devotos - Foto: Antonio Rodrigues

Sentimento semelhante ao da sergipana Darci Santana, de 63 anos que, mesmo sofrendo de artrose, fez uma longa viagem de 11 horas, saindo da cidade de Nossa Senhora das Dores. Mesmo com dificuldades em se manter de pé, faz questão de participar das celebrações ao lado da igreja matriz.

Eu mantenho muita fé no Padre Cícero e venho há 20 anos, por causa do meu marido. Ele faleceu e continuei vindo e só parei agora, por causa deste vírus. É muita emoção retornar”

Darci Santana

Romeira

A volta dos romeiros foi comemorada também pelos comerciantes locais. Alaísa Ferreira, que costuma vender velas e água no largo da Capela do Socorro durante a romaria, pôde conseguir uma renda extra. “O movimento está bom. É melhor que ficar parado. Com a pandemia, a gente tinha muito medo e só de estar aqui dou graças a Deus”, ressalta a vendedora de 68 anos. 

Legenda: A volta dos romeiros foi comemorada também pelos comerciantes locais - Foto: Antonio Rodrigues

HOSPEDAGENS

O empresário Valdete Coelho, que gerencia um hotel no Centro da cidade, exalta que, diferente da Romaria de Nossa Senhora das Dores, em setembro, quando o público foi tímido, os romeiros retornaram em maior número.

“Todos os nossos leitos foram reservados. Estou com um bom número que foi embora hoje de manhã. Alguns são aquele pessoal que vinha sempre. Não todos, mas a maioria veio. Já setembro foi bem fraco, não teve reserva”, compara. 

Os ranchos ainda não lotaram como de costume pela indecisão que pairava antes da romaria. “Muitos romeiros ainda estão esperando um pouco mais. Já em janeiro, acredito que vai ser o mês todo, porque já tem gente procurando. Não será só o período de Candeias”, projeta Coelho.

Por causa dos visitantes, a Secretaria de Meio Ambiente e Serviços Públicos de Juazeiro do Norte (Semasp) espalhou fiscais e pontos de apoio nos locais mais visitados pelos devotos, como o Santuário de São Francisco, a Basílica de Nossa Senhora das Dores e a Capela do Socorro.

Para a terça-feira (2), principal dia do evento, foram ampliados os horários de visitas nos cemitérios das 6h às 20h para evitar aglomerações. “Até agora, tem sido tranquilo. A gente esperava muito mais romeiros e não tivemos muitos problemas”, avalia o secretário executivo da pasta, Carlos Alves. 

Legenda: A Basílica de Nossa Senhora das Dores ergueu em seu interior um mural onde os romeiros podem escrever o nome e a cidade de outros colegas que morreram durante a pandemia - Foto: Antonio Rodrigues

MURAL HOMENAGEIA ROMEIROS VÍTIMAS DA COVID

Como forma de homenagear os devotos do Padre Cícero que foram vítimas da Covid-19, a Basílica de Nossa Senhora das Dores ergueu em seu interior um mural onde os romeiros podem escrever o nome e a cidade de outros colegas que morreram durante a pandemia.

“É uma manifestação de solidariedade daqueles que tiveram suas vidas ceifadas e essa experiência vai eternizar não apenas na memória, mas de forma prática”, explica padre Cícero José da Silva, reitor da matriz de Juazeiro do Norte. 

O sacerdote também atenta que a iniciativa é uma forma de lembrar os romeiros do cuidado que ainda se deve ter com a pandemia.

“Que tenhamos essa convicção mais forte na fé e na ressurreição, mas importante conscientizar de manter a atenção. A pandemia não acabou. Devemos todos manter o cuidado no uso de máscara, de higienizar as mãos e, sobretudo, reforçar nossa esperança na vacina”, completa o sacerdote. 

Legenda: Ainda que de forma tímida se comparada aos eventos anteriores à chegada da pandemia de Covid-19, o retorno dos romeiros foi comemorado - Foto: Antonio Rodrigues

PROGRAMAÇÃO

No Dia de Finados haverá a tradicional missa das seis da manhã, rezada em torno do túmulo do Padre Cícero Romão. Ao contrário dos anos anteriores à pandemia, quando a celebração acontecia de forma campal, ela será privada e transmitida ao vivo pela TV Web Mãe das Dores, canal oficial da Basílica. 

Também para evitar aglomerações, outras missas serão realizadas a cada duas horas na Capela do Socorro, permitindo a participação de romeiros e da população de Juazeiro do Norte, nos horários entre 8h e 18h. Além disso, na Basílica Santuário haverá missas às 6h, 9h e 19h. Ao meio-dia, acontece a tradicional bênção do chapéu e despedidas dos romeiros. 

Escrito por Antonio Rodrigues/Diário do Nordeste


 

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

buttons=(Accept !) days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saber mais
Accept !