Programa Mais Empregos Ceará: Mais de 900 vagas já foram solicitadas

Legenda: Restaurantes devem ser beneficiados com medida - Foto: Helene Santos

Empresas devem solicitar adesão à iniciativa na plataforma da Secretaria do Desenvolvimento Econômico do Ceará (Sedet)

Com o início do cadastro de empresas interessadas em aderir ao programa Mais Empregos Ceará, do Governo do Estado, mais de 900 vagas já foram solicitadas desde a última segunda-feira (6). Na iniciativa, o governo pagará metade do salário mínimo de novos funcionários das empresas cadastradas.

A informação foi divulgada pelo governador Camilo Santana em cerimônia de lançamento da iniciativa. De acordo com o governador, a plataforma já conta, até o momento, com o cadastro de 679 empresas. 

Continua depois da publicidade

O programa Mais Empregos foi lançado em julho deste ano com o propósito de apoiar empresas com atividades de comércio e serviços na retomada da economia no Ceará com a criação de 20 mil novos postos de trabalho. 

A lei foi sancionada no início deste mês e prevê um investimento total de R$ 66 milhões nos próximos seis meses. O foco da iniciativa é atender os setores de serviços, eventos e comércios, atividades que sofreram de forma mais forte os efeitos da pandemia. 

"É uma forma de estimular e acelerar nossa economia, especialmente neste período quando temos um maior aquecimento da economia. Também é uma forma de apoiar setores que foram bastante afetados com a pandemia. É um momento importante para gerar emprego e ooportunidade e fazer o Ceará crescer".

CAMILO SANTANA

governador

QUEM PODE PARTICIPAR 

Podem solicitar a adesão, empresas cearenses de todos os portes cadastradas no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) até 20 de julho deste ano. 

As prioridades são para microempreendedores individuais, micro e pequenas empresas, desde que enquadrados na faixa de receita bruta anual em conformidade com a legislação federal. 

Também terão prioridade no programa empresas que contratarem profissionais formados nas Escolas de Ensino Profissional, empresas do segmento de alimentação fora do lar (incluindo bares e restaurantes) e eventos. As empresas que não se enquadrarem em todos os critérios, ficarão em uma fila de espera.

Serão permitidos até 100 vínculos por empresa, além disso os participantes deverão garantir a manutenção dos novos empregos por mais 90 dias após o término do benefício.

COMO SOLICITAR 

Para participar, as empresas devem estar formalmente registradas no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) na data de publicação da lei. Além disso, deverão necessariamente exercer atividades no setor de comércio ou serviços. 

O programa só subsidiará empregos referentes a novas vagas. Isso significa que o empregador não poderá demitir um funcionário para contratá-lo novamente utilizando o benefício.

Para solicitar a adesão ao programa, é preciso fazer o cadastro na plataforma Mais Empregos e apresentar a documentação. O processo é feito de forma online. O benefício será pago em até 30 dias, caso aprovado. 

Escrito por Lívia Carvalho/Diário do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

buttons=(Accept !) days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saber mais
Accept !