Maio terminou com seis homicídios em Juazeiro e o ano é 106% menos violento

“Bruno Bala” foi morto no bairro São José, enquanto “Bel” tombou sem vida no Timbaúbas, Sidney no Frei Damião e David no Antonio Vieira (Reprodução)

O mês de maio último foi o terceiro mais violento do ano, sendo superado apenas por janeiro e abril com 10 homicídios cada.

Com seis homicídios em cinco bairros e incluindo uma mulher, o mês de maio teve quatro assassinatos a menos que abril representando queda de 40% na matança em Juazeiro. Já na comparação com maio de 2020 foram oito homicídios a menos, porquanto àquele mês do ano passado teve 14 assassinatos ou 133% a mais que o quinto mês deste ano. Assim, estamos com 10 homicídios em janeiro, cinco em fevereiro, dois em março, 10 em abril e seis no mês passado.

Segundo levantamento feito pelo Site Miséria, em maio os bairros onde houve o registro de homicídios foram Frei Damião (02 ou 33% do total) e os demais no Campo Alegre, São José, Timbaúbas e Antonio Vieira. Com isso, no acumulado do ano, o bairro Frei Damião lidera como o mais violento com sete homicídios ou 21% do número de assassinatos em Juazeiro.

O mês de maio último foi o terceiro mais violento do ano, sendo superado apenas por janeiro e abril com 10 homicídios cada. Mesmo assim, determinando uma queda acentuada e tornando o ano bem menos violento. Em 2020, eram 68 assassinatos nos cinco primeiros meses contra 33 este ano ou 35 a menos representando um decréscimo na ordem de 106% na violência. Eis a relação dos homicídios registrados no decorrer do mês passado em Juazeiro:

Dia 01 – Pedro Cruz Aprígio, de 47 anos, sem residência definida, teve o corpo encontrado na Rua Agricultor Damião Quirino da Silva (Frei Damião) apresentando perfurações a golpes de faca. O mesmo não tinha passagens pela polícia.

Dia 15 – Maria de Lourdes Carneiro de Barros, de 55 anos, que residia na esquina das ruas João Pereira de Carvalho e Maria José (Campo Alegre), foi morta a tiros enquanto dormia numa rede na sala de casa por dois homens que ali chegaram numa moto, bateram à porta e um deles se identificou como “Thales”. Ao adentrarem já foi atirando em Maria a qual respondia por lesão corporal em Juazeiro e o principal suspeito da autoria intelectual seria seu próprio filho adotivo identificado por “Wágner”.

Dia 19 –Wanderson Bruno Porfírio, de 28 anos, o “Bruno Bala” que residia na Rua Zeca Esmeraldo (São José) e era cobrador de topic, foi morto a tiros quando chegava em sua casa. Ele não tinha passagens pela polícia.

Dia 23 – Manoel Messias de Sousa Santos, de 20 anos, o “Bel” que residia na Vila Isac (Pio XII), foi morto a tiros na Rua Tenente José Dias (Timbaúbas) e sua companheira de 29 anos saiu lesionada com um disparo, cujos autores foram identificados apenas pelos apelidos de “Alemão” e “Lá”. Na sua menoridade, ele tinha sido apreendido com drogas e uma arma de fogo e respondia por crime de receptação.

Dia 29 – Sidney Ferreira Clementino, de 31 anos, que residia no Frei Damião, foi morto com dez facadas dentro de uma loja de roupas no cruzamento das ruas Joaquim Alexandre Souza e Sanfoneiro João Lucas naquele bairro. Ele adentrou a loja para matar uma pessoa que ali se encontrava identificada apenas por “Diogo” e este tomou a faca, desfechou os golpes e fugiu. Sidney respondia por assalto, porte de arma de fogo e, no dia 30 de março de 2008, matou a tiros o comerciante Luiz Gomes Barbosa, de 54 anos, o “Lula” na porta da casa da vítima na Rua João Pedro de Barros no Frei Damião.

Dia 30 – David da Silva Santos, de 22 anos, que residia na Rua Moacir Gondim Lóssio (Triângulo), foi morto a facadas durante discussão numa bebedeira na Rua Francisco Chagas Callou (Antonio Vieira). O crime foi praticado por uma pessoa apelidada por “Carioca” e populares quase o linchavam, além de quebrarem móveis na sua casa.

Reportagem de Demontier Tenório/Agência Miséria

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

buttons=(Accept !) days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saber mais
Accept !