Vacinação contra gripe chega ao último dia da primeira fase com apenas 32% das doses aplicadas no CE

Legenda: 35% das crianças que deveriam ter sido vacinadas contra a gripe foram imunizadas no Ceará - Foto: Fabiane de Paula

A meta estipulada pelo Ministério da Saúde era vacinar 1.082.438 de pessoas. Até agora, foram aplicadas 350.734 doses do imunizante contra o H1N1

A primeira fase da campanha de vacinação contra o vírus Influenza chega ao fim nesta segunda-feira (10). No Ceará, a meta estipulada pelo Ministério da Saúde era vacinar 1.082.438 de pessoas. No entanto, até agora, só foram aplicadas 350.734 doses do imunizante contra o H1N1, o que corresponde a 32,4% do público-alvo desta etapa.

Fazem parte deste grupo - contemplado na primeira fase - crianças a partir de seis meses a menores de seis anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), povos indígenas (crianças de 6 meses a 18 anos) e trabalhadores da saúde. A campanha deste ano começou no dia 12 de abril e foi divida em três fases, seguindo até o dia 9 de julho. A meta é vacinar 90% do grupo prioritário (3.300.313 cearenses).

O orientador da Célula de Imunização da Secretaria da Saúde (Sesa) do Ceará, Roberto Wagner Júnior Freire de Freitas, avalia que o baixo índice deve-se ao "cenário atípico em que vive o Brasil", referindo-se ao contexto pandêmico do novo coronavírus, e considera que "algumas pessoas ainda têm receio de sair de casa" temendo uma contaminação pela Covid-19.

Roberto, no entanto, alerta a importância da vacinação contra o vírus Influenza e reforça que todos os pontos de vacinação do Ceará seguem rigoroso esquema sanitário. 

"Sabemos que o momento exige bastante cautela. A pandemia ainda tem números altos de infecção. Mas, se vacinar contra a Influenza é tão importante quanto a vacina contra a Covid. Através do imunizante (contra a H1N1) a gente reduz internações e evita que o sistema de saúde fique ainda mais sobrecarregado", descarta Roberto Wagner. 

GRUPO DA PRIMEIRA FASE AINDA PODE SE VACINAR

Mesmo com o fim da primeira etapa da vacinação, aqueles que fazem parte do grupo-alvo e não tomaram a vacina conta a gripe ainda poderão se imunizar. "Ninguém vai ser barrado nos postos de saúde. O Ministério da Saúde dividiu a campanha em três fases para evitar aglomeração nos postos. Então, mesmo com o fim da primeira etapa, orientamos que quem não tomou a dose procure o posto mais perto de sua residência para se imunizar", explicou o orientador da Sesa. 

Cobertura vacinal por grupo:

  • indígenas (71%);
  • crianças (35%);
  • gestantes e puérperas (30%);
  • trabalhadores da saúde (18%);

O Ministério da Saúde orienta a vacina contra a Covid-19 seja priorizada caso a data de vacinação contra a gripe coincida. Quando isso ocorrer, a orientação é remarcar a imunização contra a Influenza para, pelo menos, duas semanas depois ao dia que o paciente recebeu a vacina contra o novo coronavírus.  

Esta recomendação pode ajudar a explicar a baixa cobertura vacinal nos profissionais da saúde (18%). "Este é o único grupo em que há sobreposição das vacinas, já que para gestantes e idosos começou agora", destacou Roberto.

Indígenas estavam inclusos na primeira fase da vacina contra a Covid-19 e crianças ainda não estão recebendo o imunizante. A  pediatra e diretora da Clínica Previne Vacinas, Dra. Vanuza Chagas, externa preocupação com a baixa cobertura vacinal das crianças (35%).

O vírus Influenza pode causar quadros graves na faixa etária pediátrica (crianças), podendo evoluir com complicações como pneumonia e a síndrome da angústia respiratória aguda, sendo causa frequente de internamentos.

DRA VANUZA CHAGAS

Pediatra

Ela acrescenta ainda que a baixa cobertura vacinal pode acarretar de forma importante o Sistema de Saúde. "O risco da criança inclusive transmitir para o adulto, no caso da Influenza, é muito grande, e não sabemos como será a circulação do vírus neste ano".

CONSCIENTIZAÇÃO PARA AUMENTAR OS ÍNDICES 

A Secretaria da Saúde do Estado vai iniciar, nesta semana, reuniões com os gestores municipais de modo a traçar estratégias que possam alavancar os números da vacinação contra a gripe Influenza. O objetivo, segundo Roberto Wagner, é "intensificar as ações e conscientizar a população sobre a importância dessa vacina";

A vacina contra a gripe é vital para reduzir internações, complicações e óbitos. 

ROBERTO WAGNER JÚNIOR

Orientador da Célula de Imunização da Sesa

Quanto aos óbitos citados por Roberto, a virologista Caroline Gurgel ressalta que a Influenza tem o mesmo padrão de mortalidade do vírus Sars-CoV-2. "O que tem controlado é a vacina. Por isso é imprescindível que ocorra a manutenção dessa imunização", destacou Gurgel.

Para as gestantes, Dra. Vanuza Chagas destaca que a vacinação tem como objetivo "tanto proteger a gestante, como o bebê até o sexto mês de vida". Segundo a especialista, a gestante que é infectada pelo vírus da Influenza tem maior risco de parto prematuro, "e maior restrição ao uso de várias medicações que são usadas nos quadros de gripe".

PROJEÇÃO É ALCANÇAR META DE 90%

Mesmo com indicadores aquém do ideal, Roberto acredita que "ao longo das próximas semanas a demanda pelo imunizante subirá" e a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde será batida, a exemplo do que ocorrera em anos anteriores. 

"Reconhecemos que o número está aquém da cobertura vacinal, mas com diante da intensificação das ações e realizações dos 'Dia D de vacinação', acreditamos que esse índice avançará substancialmente", pontua. Até agora, as cerca de 350 mil doses aplicadas representam apenas 8,8% da meta final, que é vacinar 3,3 milhões de pessoas no Ceará. 

Amanhã, dia 11, terá início a fase 2, que e segue até 8 de junho. Nesta etapa, serão vacinados idosos e professores. A terceira e última etapa da vacinação contra a gripe começa em 9 de junho e segue até 9 de julho.

Serão imunizadas as pessoas com comorbidades; pessoas com deficiência permanente; caminhoneiros; trabalhadores do transporte coletivo; trabalhadores portuários; forças de segurança e salvamento; forças armadas; funcionários do sistema de privação de liberdade, população privada de liberdade e adolescentes e jovens sob medidas socioeducativas.

SAIBA MAIS

Nesta 23ª campanha da vacinação contra o vírus da gripe, o Ministério da Saúde excluiu adultos de 55 a 59 anos dos grupos prioritários, dos quais eles faziam parte em 2020. Confira a composição do público-alvo:

  • Crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5anos, 11 meses e 29 dias);
  • Gestantes e puérperas;
  • Povos indígenas;
  • Trabalhadores da saúde;
  • Idosos com 60 anos ou mais;
  • Professores;
  • Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis;
  • Pessoas com deficiência permanente;
  • Forças de segurança, salvamento e funcionários do sistema prisional
  • Caminhoneiros e trabalhadores de transporte coletivo;
  • Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade. 

Escrito por André Costa/Diário do Nordeste

Tags

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

buttons=(Accept !) days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saber mais
Accept !