Sem título

Uma das festas clandestinas ocorria na cobertura do edifício Flat Kariris Home Service no bairro Lagoa Seca em Juazeiro (Reprodução)

Dois fatos foram grandes motivadores das aglomerações, principalmente em bares e residências no caso as finais do Campeonato Carioca e do Paulistão.

A Polícia Militar teve que se desdobrar neste final de semana para combater crimes contra a incolumidade pública no desrespeito aos decretos estaduais de combate à Covid no Cariri. Dois fatos foram grandes motivadores das aglomerações, principalmente em bares e residências no caso as finais do Campeonato Carioca na noite de domingo e do Paulistão na tarde deste domingo. Em Brejo Santo foram muitas as operações coordenadas pelo Tenente-Coronel L. Rodrigues combatendo aglomerações.

Em Barbalha, cerca de 50 pessoas foram dispersadas no Sítio Riacho do Meio. Em Juazeiro, a polícia tenta descobrir a localização da chácara na qual ocorreu uma festa com muitos jovens e uma garota sai no meio destes oferecendo beijos. Já na noite de sábado, porém na cobertura do edifício Flat Kariris Home Service na Rua Vital Lisboa (Lagoa Seca) houve show numa festa de aniversário. A polícia conduziu à delegacia um homem de 51 anos, ali residente, e outro de 34 anos que mora em Petrolina (PE).

Pouco tempo depois, equipes do RAIO estiveram no Espetinho Grill na Avenida Humberto Bezerra (Timbaúbas). No local, bebidas alcoólicas e aglomeração comemorando o título do Flamengo, sendo que o proprietário, de 43 anos, foi levado à delegacia. Antes da final do Paulistão, na tarde deste domingo, nova aglomeração e som alto na Rua John Lennon (Pirajá). Embriagado, o dono do som, de 28 anos, desacatou os militares do Policiamento Ostensivo Geral (POG) e ainda resistiu à prisão.

Reportagem de Demontier Tenório/Agência Miséria


Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

buttons=(Accept !) days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saber mais
Accept !