Justiça de SP condena comerciante acusado de matar carroceiro caririense com flechada no pescoço após discussão em 2016

Denis Kim foi preso por atirar uma flecha no carroceiro Aldemir Pontes, em 2016. — Foto: Reprodução / TV Globo / Polícia Civil / Arquivo Pessoal

Denis Young Kim recebeu pena de 14 anos de prisão por homicídio qualificado por motivo fútil e recurso que dificultou a defesa da vítima. Há quase 5 anos, comerciante usou arma que dispara flechas para matar catador Aldemir Ribeiro Pontes porque a carroça dele bateu no seu carro.

acusado de matar um carroceiro com uma flechada no pescoço após discussão em 2016 em São Paulo. O julgamento ocorreu na última sexta-feira (21) na 1ª Vara do Júri, no Fórum Criminal da Barra Funda, Zona Oeste da capital. O réu está preso.

O assassinato foi cometido na tarde de 14 de setembro de 2016 na Rua Mamoré, no Bom Retiro, centro da cidade. Naquela data, Denis Young Kim usou uma balestra (ou besta), nome da arma voltada a esporte e caça, para disparar uma flecha que perfurou a artéria carótida de Aldemir Ribeiro Pontes. A vítima era catadora de materiais recicláveis.

Uma câmera de segurança gravou Aldemir empurrando a carroça antes do crime. Depois, outro vídeo mostra o carro de Denis, um Peugeot 206 prata, no mesmo endereço logo após o assassinato. De acordo com o Ministério Público (MP), o disparo foi feito de dentro do veículo. Um vigilante contou à Polícia Civil ter visto o motorista apontar a arma para Aldemir enquanto discutia com ele.

"Ele parecia discutir com o catador de material reciclável na língua dele", disse a testemunha à época também ouvida pelo G1. Quando passou pelos dois, ela ouviu um barulho e, ao se virar, percebeu que a vítima estava caída com uma flecha no pescoço. "Ele morreu ali."

Uma policial militar à paisana que passava pela região logo após o homicídio anotou a placa do Peugeot de Denis logo após vê-lo atirar em Aldemir.

Prisão do assassino

Com as imagens, o depoimento da testemunha, que depois socorreu a vítima e reconheceu o assassino, e o número da placa do carro, a Polícia Civil identificou, localizou e prendeu o dono do automóvel no dia seguinte ao crime no apartamento em que ele morava.

Denis tinha 33 anos quando foi detido e confessou o homicídio. Mas alegou que não queria matar Aldemir, a quem conhecia. Sua intenção seria apenas dar um susto nele porque o homem teria arranhado seu carro com a carroça e não queria pagar o reparo pelo dano causado.

O catador usava a carroça para trabalhar. Ele iria completar 64 anos no dia seguinte ao crime. Aldemir nasceu em Santana de Cariri, no Ceará, mas morava em Guarulhos, na Grande São Paulo, com filhas e netos. Era divorciado.

Quando foi encontrado pela polícia, Denis ainda tentou fugir, mas foi preso. Com ele foram encontradas e apreendidas a besta usada no assassinato de Aldemir, uma faca e drogas. O comerciante também tinha adulterado os números da placa do carro com uma fita adesiva para tentar despistar a investigação.

Besta

Besta apreendida com Denis Kim, segundo a polícia — Foto: Reprodução / TV Globo

A besta, como a balestra é popularmente conhecida, funciona com um arco na ponta, com flechas (chamadas de setas) na transversal. Elas são acionadas por um gatilho.

Segundo policiais, o equipamento custa entre R$ 1 mil e R$ 3 mil e pode ser comprado em lojas de artigos esportivos e na internet até mesmo por menores de idade porque não há no Brasil uma lei que regulamente seu uso.

Julgamento

Carro de Denis Kim e carroça de Aldemir Pontes — Foto: Reprodução / TV Globo

Além do homicídio, Denis chegou a ser indiciado pela polícia por porte ilegal de droga, uso de arma branca, desacato, desobediência e resistência. Mas acabou condenado somente por homicídio duplamente qualificado: motivo fútil e utilização de recurso que dificultou a defesa da vítima. O júri popular ocorreu quase cinco anos depois do crime.

“Os jurados decidiram com justiça ao condenarem indivíduo extremamente violento e que matou um humilde catador de recicláveis com uma flechada no pescoço. O crime foi cometido por motivo fútil. Tudo aconteceu porque o réu considerava a vítima um mendigo que atrapalhava o trânsito com sua carroça”, disse o promotor Felipe Zilberman, nesta quarta-feira (26) ao G1.

Até a última atualização desta reportagem não havia confirmação do local onde ele está preso nem onde irá cumprir a pena, em regime fechado. A defesa de Denis, que é feita pela Defensoria Pública, não se pronunciou para comentar o assunto.

Perfil do condenado

Denis Young Kim, suspeito de matar catador com uma flecha em São Paulo — Foto: TV Globo/Reprodução

Formando em Ciências da Computação na Califórnia, nos Estados Unidos, Denis é brasileiro naturalizado, segundo o MP. Descendente de sul-coreanos, ele trabalhava em São Paulo como comerciante. Atualmente está com 38 anos.

Em 9 outubro de 2013, Denis já havia sido preso em flagrante pela Polícia Militar (PM) por tentativa de homicídio também no Bom Retiro. À época ele discutiu e esfaqueou outro comerciante, um brasileiro também descendente de sul-coreanos. A vítima, que tinha então 24 anos, foi ferida na barriga e sobreviveu.

O que motivou a briga foi Denis estar namorando a ex-mulher do rapaz. A vítima tinha ido à casa da ex-mulher pegar o filho de ambos para passear. Quando Denis soube, não gostou e apareceu armado com duas facas.

A polícia apresentou Denis Young Kim como suspeito de matar catador com uma arma que atira flechas em São Paulo — Foto: TV Globo/Reprodução

Policiais civis ouvidos pelo G1 não souberam dizer porque Denis foi solto depois do crime.

Por Kleber Tomaz e Beatriz Backes, G1 São Paulo e TV Globo

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

buttons=(Accept !) days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saber mais
Accept !