Casos de Covid crescem em Icó e sobrecarrega sistema de saúde; "situação gravíssima", diz secretário

Legenda: Em Icó, a ocupação dos leitos de leitos de UTI Covid estão em 100% - Foto: Wandemberg Belém

Taxa de ocupação de leitos de UTI está em 100% e há risco de escassez de oxigênio e de medicamentos para intubação

A semana começa com preocupação para os gestores e moradores da cidade de Icó, na região Centro-Sul do Ceará. Neste domingo (10), quatro pacientes morreram e a ocupação de leitos de UTI chegou a 100%. Há quatro pacientes na fila de regulação aguardando leitos de UTi e enfermarias.

Os pacientes com sintomas da doença não param de chegar à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e à emergência do Hospital Regional de Icó. Na manhã desta segunda-feira (10), uma senhora chegou carregada por parentes, sem forças para caminhar sozinha.

O temor local é a falta de medicamentos para intubação dos pacientes graves e possível escassez de oxigênio. Marcos Barreto, secretário municipal de Saúde de Icó, avaliou a situação como “gravíssima com aumento assustador do número de casos, de óbitos, lotação dos leitos de enfermaria e da ala de tratamento intensivo”.

O titular da secretaria de Saúde disse que exames realizados pela Vigilância Sanitária de Saúde do Estado comprovaram a circulação da variante P.1, em Icó.

“As pessoas já chegam em estado grave e a evolução da doença é rápida, principalmente entre os jovens e atingindo toda a família”, pontuou Marcos Barreto, que fez um apelo à população para se conscientizar sobre a gravidade do momento, evitar circular nas ruas sem máscara e manter medidas de prevenção até também dentro de suas casas.

Legenda: Três pessoas aguardam por leitos de enfermaria em Icó - Foto: Wandemberg Belém

A coordenadora do anexo da UPA, exclusivo para pacientes com Covid-19, Tamires Figueiredo, frisou que nas últimas três semanas, os casos “quase que triplicaram e que a metade dos exames tem resultado positivo para o coronavírus”.

No fim da manhã desta segunda-feira (10), o casal, Aldeir Alves, 25, serralheiro, e Ângela Cruz, 26, dona de casa, procurou atendimento na UPA de Icó por apresentarem sintomas suspeitos da doença: dor de cabeça, no corpo, irritação da garganta e diarreia. Uma filha de oito anos também está com sinais de Covid-19. “Estamos preocupados porque essa doença vem se agravando e matando mais pessoas”, disse Aldeir Alves.

Epidemiologia

Desde o início da pandemia, segundo dados do Integrasus, da Secretaria de Saúde do Estado (Sesa), a cidade de Icó já registrou 4.886 casos de Covid-19, com 4.098 recuperados e 77 óbitos. A taxa de letalidade é de 1,6.

Dos ocupantes dos 10 leitos de UTI da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade, 70% têm menos de 60 anos de idade.

Neste fim de semana, morreram quatro pessoas, três internadas em Icó e uma que havia sido transferida para Iguatu.

Na cidade de Icó, há ainda 1 paciente na fila esperando por um leito de UTI, sem previsão para vagas. Três já se encontram intubados, de maneira improvisada, em leitos de enfermarias.

Em 2020, Icó registrou 45 óbitos por Covid-19 e neste ano, já são 32. Somente neste mês de maio, foram registradas sete mortes pela doença.

Em março passado, Icó verificou 14 óbitos e 403 casos de Covid-19. Em abril passado, foram oito óbitos e 784 novos casos da doença.

Escrito por Wandemberg Belém e Honório Barbosa/Diário do Nordeste

Tags

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

buttons=(Accept !) days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saber mais
Accept !