Ceará registra cerca de 22 notificações de acidentes de trabalho por dia

Faturas representam as lesões mais frequente (Foto: iStockphoto/Reprodução)

Entre os setores que mais concentram notificações de acidentes em 2020 está a área de atendimento hospitalar

Pela primeira vez desde 2008, o total de notificações de acidentes de trabalho no Estado foi inferior aos 10 mil, de acordo com balanço divulgado pelo Observatório de Saúde e Segurança do Trabalho (SmartLab), nesta segunda-feira, 26. Em 2020, foram 7.940 notificações, contra os 10.518 registros no ano anterior, o que representa redução de 24%. O boletim também indica queda no total de mortes: 34 notificações de óbitos por acidente de trabalho em 2020, enquanto que em 2019 as vítimas fatais somaram 50.

As atividades de atendimento hospitalar lideram o ranking dos setores que mais concentram notificações de acidentes de trabalho em 2020. No estado, foram 1.162 casos notificados, o que corresponde a 16% do total. Em seguida vêm o comércio varejista em geral, com destaque para os supermercados, que notificou 380 ocorrências; a fabricação de calçados, com 365; as atividades de apoio à gestão de saúde, 307; e construção de edifícios, com 205.

As fraturas representam as lesões mais frequentes nos acidentes, representando 18% do total. Em segundo lugar vêm as lesões imediatas, com 17% e os cortes, lacerações e feridas contusas, 16%.

Segundo o SmartLab, entre os 5.570 municípios brasileiros, Fortaleza ocupa o 12º lugar em acidentes de trabalho registrados em 2020. Foram notificados, ao todo, 3761 casos entre trabalhadores com vínculo de emprego regular, o que corresponde a quase metade dos registros em todo o Ceará, cerca de 47%. No ranking estadual, a capital cearense é seguida de Maracanaú, com 559 casos, Horizonte, 377, Sobral, 341, Juazeiro do Norte, 298, e Caucaia, com 268 notificações.

Procuradora-chefe do Ministério Público do Trabalho no Ceará, Mariana Férrer analisa que ainda existe uma estimativa alta de subnotificações para acidentes que resultam em afastamento previdenciário. "Muitos registros de acidentes são gerados no momento da concessão do benefício, pelo INSS, sem correspondente emissão anterior na forma da lei", explica. "Em 2018, por exemplo, tivemos 12.517 notificações de acidentes no Ceará. Mas estima-se que outros 3,5 mil não foram comunicados pelas empresas", detalha.

Covid-19

O Observatório apresenta também um panorama das comunicações de acidentes de trabalho e de afastamentos relacionados à COVID-19 em 2020. No Ceará, o INSS concedeu benefícios previdenciários a 1,6 mil trabalhadores afastados, segundo a Classificação Internacional de Doenças (CID). O total contempla ainda as doenças por vírus de localização não especificada, em especial as subcategorias "infecção por coronavírus" e "infecção viral não especificada".

Os técnicos de enfermagem aparecem em primeiro lugar entre as ocupações com mais afastamentos previdenciários, com 50 profissionais afastados. Em seguida vem os alimentadores de linha de produção, 32, os faxineiros, 28, os auxiliares de enfermagem, 24, e zeladores de edifícios, com 21 casos.

O Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT) realizaram, nesta segunda-feira, 26, o lançamento da Atualização do Observatório Digital de Segurança e Saúde do Trabalho em Tempos de Covid-19. A atividade faz parte da iniciativa Abril Verde que, durante este mês, destaca a importância da adoção de medidas de prevenção dos acidentes e das doenças relacionadas ao trabalho.

Fonte: Jornal O Povo

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

buttons=(Accept !) days=(20)

Nosso site usa cookies para melhorar sua experiência. Saber mais
Accept !